sexta-feira, 15 de maio de 2009

Fura fila

Outro dia eu estava no Terminal Tietê esperando o horário do meu ônibus. Pra matar o tempo, decidi comer um doce. Eu adoro matar o tempo comendo. Se for algo gorduroso ou doce, melhor ainda. Rumei para a Casa do Pão de Queijo, que oferece um dos melhores quindins que já comi. É isso mesmo: quindim, não pão de queijo. Acho o pão de queijo de lá ok, mas, emc compensação, me delicio com o quindim.

A Casa do Pão de Queijo do Tietê está sempre lotada. Seja às 5 da manhã seja à meia-noite, é certeza de fila longa. E, sendo um local dentro de um terminal rodoviário, supõe-se que a maioria ali tem certa pressa pois tem horário para pegar ônibus. Era o meu caso nesse dia. Entrei na fila interminável e fiquei esperando. Quando eu estava quase lá, vi que uma mulher estava se aproximando pela lateral para fazer uma das coisas que eu mais abomino no mundo: furar fila.

Interlúdio explicativo:
Fure fila na minha frente pra você ver o que acontece. De 1,58 eu passo a ter 1,80 de tanto que eu cresço com a braveza. E eu não deixo passar na minha frente, a não ser em caso de morte. Eu brigo mesmo. Uma vez estava numa fila gigante de balada, 5 da manhã, louca para ir embora. Aí um sacripantas resolve furar fila na minha frente fazendo outra coisa que eu também abomino: jogando um xaveco tosco. Pronto, estava ali a personificação de dois comportamentos que eu não suporto. Ou seja, estava ali, em minha frente, o casqueré sanguinolento. Eu na boca do caixa, pronta pra pagar, e ele tentando me xavecar achando que eu não havia percebido a estratégia mirim. Aí quando ele disse: "vou ficar aqui com você, nós pagamos as comandas e depois você me dá seu telefone". Senti-me ultrajada, sabem. Vai tomar no cu, né, palhaço. Quer insultar a perspicácia de alguém, insulte a daquela menina que está com o pescoço torto de tanto jogar os cabelos pros lados, não a minha. Aí eu disse, super delicadamente: 

- Não, não pagaremos juntos e, se você quiser algum telefone, terá que ir pro fim da fila. Na minha frente você não passa. E se continuar me enchendo, eu chamo o segurança. 

Ele riu. Amigos, ele riu. Olhou pra folha de cheque que eu estava preenchendo e falou:

- Nossa, minha mãe tem o mesmo sobrenome que o seu! É destino... Mas olha, a menina ali atrás deixaria eu furar fila, viu...

Foi quando eu perdi totalmente a paciência, disse que a árvore genealógica dele não me interessava, que se a menira era idiota era problema dela e chamei o segurança. Aí ele saiu de lá me xingando de mal comida. Porque é assim: você contrariou um machinho, você é mal comida.

Então é isso: nunca furem fila na minha frente que eu perco minha finesse.

Fim do interlúdio

Voltemos à mulher que estava prestes a furar fila. Bem na minha vez. Quando eu dei um passo à frente para fazer meu pedido, ela se adiantou e perguntou à moça do caixa qual era o preço do chiclete. A moça respondeu e ela:

- Me dá 3 pães de queijo.

Pãnico nas ruas, caros colegas. Porque o meu sangue ferveu e tenho certeza que até saiu pelas minhas narinas em forma de vapor. Respirei fundo e travei o seguinte diálogo:

Eu: - Senhora, se quiser pedir pão de queijo, entre na fila.
Ela: - Ah, eu nem vi a fila. Estou com tanta fome...
Eu: - É, eu também. E entrei na fila pra pedir. Então eu faço meu pedido e a senhora entra na fila.
Ela: - Mas meu bebê está com fome e eu também.
Eu: - Ótimo, é só entrar na fila que sua vez já vai chegar.

Se eu não tenho coração? Tenho sim. Mas ninguém morre de fome por esperar 5 minutos. E uma coisa é chegar para MIM e explicar a situação, outra, bem diferente, é furar fila e tentar dar uma de espertinha. Meu cu de azul com glitter na Avenida Paulista pra gente assim. A moça do caixa me deu razão, a mulher foi pra fila resmundando e eu pedi meu quindim. Deleitei-me calmamente e fui em direção à escada rolante. Foi quando vi a mulher mal-educada. E fiquei olhando para ver para onde ela iria e qual era o tamanho do tal do bebê.

O bebê, minha gente, ou melhor, o "bebê" era um rapagão de uns 10 ou 12 anos. Ou seja, ou aquilo é uma obra miraculosa da natureza e temos ali um bebê enorme e pré-adolescente ou então temos mais um entre os milhões de casos de pessoas que se fazem de coitadinhas pra onseguir o que querem.

Eu fico com a segunda opção.  E é por isso que eu não me compadeço de gente que faz cara de cachorro doente.

Beijos,

Camila Desalmada

ps: minhas amigas também odeiam furões. Uma vez estávamos na fila enorme do único caixa eletrônico de Arraial D'Ajuda. No Revéillon. Era MUITA GENTE na fila. Aí um cara chegou e falou: "vou entrar aqui com vocês". E nós não deixamos. Eu criei caso e minhas outras duas amigas, idem. E a namorada do cara rindo. Isso mesmo, rindo. E o cara achando que tinha razão. Se meu namorado faz uma coisa dessas eu juro que puxo ele pela orelha e levo pra bem longe dali. Ou largo ele sozinho pra nunca mais voltar. Tenho pãnico de gente folgada que acha que pode tudo.

10 comentários:

drosofila disse...

"Meu cu de azul com glitter na Avenida Paulista pra gente assim."

CHOREI DE RIR, EAUHEHUAEHUEHEHUA!!!

Bah, eu odeio que furem fila também (prática tão comum quanto respirar em Salvador), mas confesso que eu nem sempre falo. Outro dia até tomei coragem e falei, mas me dei conta (me deram, na verdade) que a criatura estava em outra a fila, a dos idosos, não furando a minha. Isso me desencorajou menos ainda, huahuehuehauheu!

Mas se me pedem, eu digo não. Pode ser uma idosa gestante com um bebê de colo comprando um item no mercado me pedindo pra passar na frente, eu digo não. Ninguém gosta de esperar, mas é algo que a gente deve fazer pelo bem de todos e felicidade geral da nação, né? No mais, ODEIO esperto.

Ice Ice Baby disse...

ODEIO gente q fura fila! olho de cara torta e se a pessoa não se mancar eu solto o verbo mesmo!!

bancar de "ixperto" não..

Dani Meirelles disse...

Li esse texto pensando: "vou comentar sobre o caso de Arraial". Rá!

A gente é baixinha, mas se garante ;)

simone disse...

eu tenho sorte com isso. aqui em curitiba as pessoas AMAM filas, idolatram filas, nomeiam seus filhos com filas famosas. é mais tranquilo hahahaha

mas gente pseudo-espertinha tem mais é que levar sabão em público mesmo. certa tá você

Patricia Scarpin disse...

Taí um troço que me deixa fula, também.
Quando fui tirar passaporte ainda era aquela zona de ordem de chegada - 5 da manhã e eu já estava no shopping, em frente à P.F.
Quando o troço abriu, às 10 e qualquer coisa da manhã, aparece uma mulher com uma criança enorme no colo e se posiciona na fila preferencial. Ela tomou uma bronca tão grande do cara da P.F que todo mundo na fila gargalhou. Ganhei o meu dia. :D

Caco disse...

Na China eles não fazem fila por herança dos tempos de fome: quem ficava por último, morria. Era questão de vida ou morte. Tu iria surtar.
bjs
CACO
PS: Acho muito somente okay o Pão de Queijo da Casa do Pão de Queijo. Mas vou provar o quindim.

Paulo Tiago disse...

hahahahahahahahahahaha

A do cu azul de glitter é demais!

hahahahahahahahahahahaha

Carol disse...

Visulisa. Show da Madonna. Uns 15 k de fila. Estávamos em grupo. Uma senhoura que estava com a gente encontrou um amigo. O amigo, sorrateiro, ficou lá no lugar onde estávamos. Daqui a pouco o amigo sorrateiro encontra, assim, do nada, uma caravana do Parque Piqueri com umas 76 pessoas. Que ficaram atrás de mim, claro (porque eu sou bem egoistinha... larguei a velha amiga da caravana pra trás... hahaha)

Espumei. E eu não sei até hoje como não rolou sangue naquela fila.

Srta.T disse...

Ai, adorava um babado de quando eu era estagiária em Londrina: duas socialáites se pegaram na buatchy mais badalada do condado por conta de uma furação de fila. Uma furou, a outra xingou, a outra deu-lhe um chute na canela, a outra devolveu-lhe a gentileza com um socão na cara, quebrando o nariz da fia. Descobriu-se depois que a moça que deu o socão praticava boxe há um bom tempo.
O escritorio onde eu trabalhava representava a socada e eu abdiquei do sigilo cliente/estagiário e saí contando PRA TODO MUNDO. =D

tocomfome disse...

Deos do céu... o melhor foi a parte do "Ah, eu nem vi a fila. Estou com tanta fome..."
Não viu a fila? Achou q tinha um monte de gente de pé um atrás do outro fazendo o que? flash mob?
E se tá com tanta fome assim, dava para ir em outro lugar menos cheio... cada uma viu...
O mais inacreditável é que os furões ainda ficam putos depois q levam um coção, né?
dae eu fico pensando que o mundo não tem mais jeito mesmo...