terça-feira, 23 de setembro de 2014

Caldinha de chorume no sundae de cocô

Você está lá, no meio de preparação pra mudança/dieta/falta de hormônio, tentando manter a cabeça erguida e o bom humor. Então decide ir ao showzinho de um amigo, que vai cantar. 7 da noite, no Itaim Bibi, vamos lá, tomamos uma cervejinha, nos divertimos, e voltamos pra casa cedo porque eu não posso comer nada fora de casa. Certo?

Tecnicamente sim. Mas a cidade, a violência, os filhos da puta, a desigualdade, tudo isso acabou dando no imprevisível: assalto a mão armada a 300 metros de nosso destino. Estávamos andando super distraídos, dando risada, numa área que é super familiar a mim. Quando percebemos, um casal estava em cima de nós, pedindo nossas coisas. Eu reagi, saí correndo. E aí o cara sacou a arma e mostrou ao meu marido. Eu não vi a arma, eu só senti o chão abrindo, e meu marido me puxando, me segurando e pedindo pra eu entregar tudo.

Entreguei.

Minha cabeça começou a pirar, eu só pensava que podiam ter atirado em nós, que meu marido podia ter sido baleado com a minha reação, que tudo podia ter sido uma tragédia. O fato de não ter acontecido uma tragédia não me ajudou a me acalmar. Tive uma crise nervosa, chorei sem conseguir parar, e só parei mesmo quando Thiago me disse que tinha conseguido bloquear meu celular através da operadora.

Nossos amigos nos ajudaram, depois ainda nos levaram pra sair e eu mandei tudo à merda e comi duas fatias de bruschetta com queijo derretido. Rebelde!

Não vou entrar na questão da sensação de impotência, revolta, etc etc. Porque senão eu vou ficar sempre em looping nesse assunto. Só vou dizer que esse ano está MESMO um híbrido de 2012 (câncer e problemas financeiros) com 2008 (questões familiares e assalto). Eu espero, de coração mesmo, que agora que chegamos ao fim do poço sendo assaltados, a gente consiga só subir. E sair dessa fase.

Hoje comecei a cintilografia (demora 3 dias), sexta começamos a mudança para um lugar melhor e maior, o resultado do exame sai na semana que vem. Mais uns dias só de dieta. Tudo vai começar a melhorar. TEM que melhorar.

8 comentários:

C. disse...

Sou sua leitora há um tempo, e só queria te desejar um novo sopro de vida, pois depois de tanta tempestade sempre vem um sol lindo e é isso que eu te desejo. Fique bem, fique com Deus e não desista.

Beijos

Thais Miguele disse...

CA-RA-LE-O! Li seus últimos 3 posts de uma tacada, e foi, tipo, CHOQUEI! O universo só pode estar de sacanagem. Porque quando uma coisa ruim tá acontecendo com uma pessoa, não pode acontecer outra e mais outra com essa mesma pessoa. É uma-coisa-ruim-de-cada-vez! No que eu tô concluindo que, acabou de coisa ruim pro resto da vida agora, né? Sua cota acabou! Tem que acabar por simples justiça! E eu vou rezar por isso! Ó, tô atrasada, mas tô aqui pra emprestar dois ombros, braços, pernas e até colo, se você precisar. Sei que a intimidade nem chega perto disso. Mas, oi? Não estávamos agora mesmo falando de desmedidas? Bjo!!!

Renata disse...

Camila,

te leio aqui há anos, te sigo no twitter e sempre me mantive em silêncio (timidez, medo de ser invasiva, muitas coisas). Esse post - assim como vários outros - me deu vontade de te mandar um abraço. Daqueles que, ao menos, sejam um bom acolhimento pras suas lágrimas. Estou com todo o pensamento positivo do mundo voltado pra você. E desejando que tudo passe logo.
Um beijo enorme, com muito carinho.

Inspirada disse...

Eu não jogo, mas vou fazer uma fezinha pra poder te ajudar. Força, linda!

.cleozinha. disse...

vai melhorar, força!

Inspirada disse...

Melhoras...

Inspirada disse...

I hope life's been treating you kind.
Hang in there, baby!
http://i.imgur.com/x7S2ZV3.jpg

dionete bugyi-zande disse...

oi, camila - já faz mais de seis meses que vc não dá sinal de vida... deu tudo certo? e seu tratamento? a casa nova? o trabalho? conta para a gente como andam as coisas.

bj