quarta-feira, 9 de junho de 2010

Respostas aos comentários do post anterior

Nilo, Fernando, Talita e Caco: queridos, muito obrigada pela força. Mesmo!

PCesar: Eu ia começar dizendo que "talvez" você não tenha entendido meu texto, mas acho que pelo seu comentário, está mais do que claro que não entendeu. Eu não estou sozinha, não estou sofrendo por causa de falta de homem no mercado e nem porque eu acho que todos os homens são imprestáveis. Meu sofrimento, se é que posso chamá-lo assim, se deve ao fato d'eu estar num relacionamento à distância. E como namoro com ele há um ano e meio, e, portanto, nosso relacionamento se torna mais profundo a cada dia, tem sido cada vez mais difícil, tanto para mim quanto para ele, estarmos separados. Não vou chutá-lo: eu vou me casar com ele. Não vou ter aventura nenhuma: já tive muitas e sei muito bem o valor de ter alguém como ele ao meu lado.

E isso vale para qualquer pessoa que pense dessa maneira tão amarga: se homens e mulheres não prestam, nenhunzinho e nenhumazinha, num mundo de 6 bilhões de pessoas, puta que pariu, esse mundo é uma merda mesmo. Vou mudar meu nome pra Jim Jones e incitar todos ao suicídio em massa. Porque é muito, muito triste viver num mundo onde ninguém, repito: NINGUÉM vale a pena. Amigos, amigas, ninguém. São todos ordinários, todos só querem convencer uns aos outros a fazerem o que você quer.

Fico muito feliz em saber que meu mundo é diferente. Eu tenho amigos e amigas que valem muito a pena. Gente que, como eu, se decepcionou, fez burrada, deu com a cara na parede, traiu, foi traído. Mas, mesmo assim, seguiu adiante. Porque a maior lição que se pode tirar de uma desilusão talvez seja isso: você deve sempre, sempre seguir em frente. E pode ser que seu coração tenha sido amassado e nunca mais volte a ser como era. E isso dói. Mas passa. E aí você segue, com seu coração desamassado, talvez mudado para sempre, mas você segue adiante. E seguir adiante não significa seguir odiando a humanidade. Culpando o mundo todo pela desilusão pela qual você passou. Seguir em frente é continuar enfrentando o mundo de peito aberto, por mais cafona que isso possa parecer. É, ainda assim, tentar - pelo menos tentar - enxergar o que as pessoas têm de amável. De bonito. De apaixonante. Porque elas têm. E isso sou eu falando: eu, que acho que as pessoas estão cada vez mais estúpidas e com mais preguiça de pensar. Se eu consigo ver beleza nos outros, PCesar, acredite, você também consegue.

Eu não sou Pollyana. Eu não faço o estilo noivinha romântica. Eu não sou mulherzinha. Mas acredito no amor como um todo. Se você tem o coração preto e peludo e não acredita, tudo bem. Só não venha ao meu blog falar bobagens. Muito grata.

8 comentários:

Andrea disse...

Olha, na boa, você tem o melhor texto pessoal que já vi nos blogs. Você fala com tanta sinceridade, com tanta humanidade se sem pretensão, e se expressa com tanta precisão (e fala todos os palavrões que eu adoro e gargalho quando vejo), que não dá prá não ler. É isso mesmo, você é bem melhor que a Folha.com!
Delícia de posts.
Andrea

Cereja disse...

Concordo.

Caco disse...

hahahaha
ahazô!

Se precisar de qualquer coisa, grita lá no meu email ou no brógue. ;-)

xoxo
CACO

Srta.T disse...

Hoje é Dia Internacional do Analfabetismo Funcional nos Blogs Alheios? E eu nem tava sabendo?

surtei disse...

ninguém presta nessa porra de mundo.

(tentativa - provavelmente frustrada - de ter um post só pra mim. hahahaha ;)

então nega, falando sério, concordo e concordo muito. eu tb xingo e ainda vejo as coisas boas nas pessoas. às vezes eu me fodo lindo por isso, mas eu me jogo, fazer o que? depois que eu descobri que os perrengues passam, tudo ficou mais fácil. nelson ned tava certo, tudo passa mesmo. então a gente não precisa da bad eterna pra viver, não.

amo tu, mozilla.

tania disse...

Minha primeira vez no teu blog e li o que precisava ler hoje. Não por causa de relação amorosa, mas por problemas no trabalho. Suas palavras me fizeram bem e concordo: sempre seguir adiante. Texto muito bom. Grata.

disse...

ahahahahaah!

boa resposta.

Liliane Gusmao disse...

Olá!
Cheguei aqui hoje e me pergunto por que nunca li voce antes, o que eu estava fazendo?
Vi seu hoje link no Terapia zero da Anna, e vou lá sempre!
Enfim... Antes tarde do que nunca.
Coloquei voce no meus favoritos!

Liliane