quinta-feira, 8 de julho de 2010

Saudade

Eu as vi somente uma vez na vida, por um fim-de-semana, em janeiro desse ano. Foi incrível a empatia inicial e todas as conversas longas que tivemos. É incrível como eu tenho a sensação de que eu ainda poderia conversar com elas por mais horas e horas e horas. Chega a ser estranho, mas sinto saudade. E às vezes me pego pensando o que uma está fazendo, se a outra está bem, por que uma delas me escreve tão pouco. E quando uma delas me escreve e me chama de "irmã" meu coração fica quentinho, quentinho. Porque é essa a sensação que eu tenho: de que ganhei três irmãs, filhas do pai que não é de sangue, mas que me recebeu de coração. No final daquele sofrimento todo, a vida foi bem generosa comigo. :-)

4 comentários:

Mari Biddle disse...

Viu? Sem querer sem Poliana mas ja sendo: ficou tudo bem no final.

Estou feliz por vc.

bjks

Beatris disse...

Na vida nada acontece por acaso. Fico imensamente feliz por ti!

Nilo Sérgio disse...

Nem sei o que dizer, Chu, o que sei é que fico ainda mais feliz! Talvez mais do que a Mari e a Beatris! O que sei é que a vida é generosa sim com todos nós. Apenas por estarmos aqui nessa nave Terra - pulando fora do que não presta - e aproveitando bem o que se oferece de melhor. Você é uma figurinha 10, viu? As três que voce cita também!

Tahiná disse...

Que lindo, Camila... Esse post me deixou assim meio sem palavras e também não sei o que dizer. Acho que me resta então dizer que o meu sentimento é recíproco. saudade! (vou te mandar um email agora, veja em 20 minutos hehe).