terça-feira, 1 de maio de 2012

Nossos óbvios são diferentes

Uma das coisas mais óbvias da vida, pra mim, é o present perfect. Ele faz todo o sentido. É fácil. Não tem como confundir com o past simple, simplesmente não tem. Isso é o que eu acho. Mas dando aulas eu descobri que ele não é esse "mamão com açúcar" (que idosa) todo pra uns 95% dos alunos. Eu posso explicar, exemplificar, desenhar linhas e mais linhas do tempo, fazer fluxograma (já fiz isso). Ele continua sendo difícil. Muitas vezes as pessoas entendem a ideia mas não conseguem usá-lo.

Esse talvez seja um dos maiores aprendizados da minha vida. Que o óbvio ululante pra mim não é óbvio ululante pra muitas pessoas. E o que é óbvio pra elas não é óbvio para mim. Eu tenho a maior dificuldade do mundo com matemática. Tenho mesmo. Aquilo não faz o menor sentido pra mim. Sempre que um aluno fica preso no lance do present perfect eu falo sobre isso, sobre a minha dificuldade com números. Que geralmente pra eles números são aquela coisa super simples mas, pra mim, são um pesadelo. Assim como aprender um idioma é um pesadelo pra eles. Mas não tem que ser, né. Nem a matemática e nem o inglês. Nem as coisas "óbvias" da vida, porque o meu óbvio é diferente do seu.

Só que às vezes é tão difícil entender as coisas óbvias alheias. Tão difícil.

2 comentários:

S. W disse...

Camila eu confesso que fui uma dessas pessoas, o present perfect não entrava de jeito nenhum e eis que um dia, agua mole pedra dura... alias eu acho que em algum momento onde eu nao tinha mais esperanças eu acabei aprendendo.

beijos

Madureira disse...

Confesso que sou outro que não sei usar muito bem o present perfect. Tenho ideia do conceito da parada, mas saber o momento certo para usá-lo? Só no instinto.