quinta-feira, 25 de janeiro de 2007

Prazer, Maxwelson

Maxwelson existe e mora em Maceió. Ele é um promissor jogador de futebol do time local e, por conta disso, deve ser conhecido na cidade. Se não pelo fato de jogar futebol, pelo nome. Porque Maceió não é exatamente uma megalópole e Maxwelson não é exatamente um nome comum. Eu diria que Maxwelson não é nem um nome, e sim um erro de cartório, tudo porque o escrivão estava cansado da noite anterior com Wandiscléia quando Maxwelson pai chegou para REZISTRAR seu rebento. Ou porque o escrivão estava com raiva do mundo, com a cueca apertada e tinha brochado na noite anterior. Com Wandiscléia. O que fazer? Descontar no bebê alheio. É isso aí, a vida é pura vingança. E então Maxwelson cresce, sente os hormônios fervilharem em seu corpo adolescente e resolve que é hora de botar pra quebrar com as menininhas. "Oi, prazer, meu nome é Maxwelson". Gargalhadas non-stop, que se repetem por um bom tempo e com toda menina que nosso intrépido rapazote tenta passar o xaveco. Resta a ele três alternativas: auto apelidar-se Max (é nome de cachorro, mas antes cachorro que aberração), virar jogador de futebol promissor na cidade ou tornar-se um psicopata que comete atrocidades nos cartórios de Maceió.

É por causa de histórias como essa que acho que a escolha de um nome é importante. Se Fernanda Montenegro se chamasse Kelly Cristine Montenegro, ela provavelmente atuaria em novelas mexicanas ou estaria no caixa de algum supermercado de bairro. Exageros à parte, me peguei esses dias divagando sobre a força de um nome quando resolvi ter (de novo! de novo!) um blog. Que nome eu poderia dar?

Havia pensado em "About a Girl", por causa do livro do Nick Hornby. Porque referência é tendência de mercado. Já tinha alguém usando esse nome. "A Pecadora", uma brincadeira tanto com o fato d'eu já ter pecado muito na vida (ei, peralá: TODO mundo já pecou demais na vida. E eu nem sou católica, então tire esse sorrisinho maroto do canto da boca, valeu?) quanto com o fato do nome soar meio de novela mexicana. Pra quem já teve blog em homenagem ao Cirilo, isso não seria novidade alguma. Blé, já tinha alguém usando. Nome de um outro blog que tive, que fazia referência ao Nelson Rodrigues. O nome é legal, mas me lembra uma época conturbada do ano passado, e atualmente eu só quero é ser feliz e andar tranqüilamente na favela onde eu nasci. Passo, portanto. Nome de livro? Personagem de filme? Nome de algum ídolo? Não, não, não. Não tenho ídolos e sou péssima pra pensar em referências úteis quando preciso delas.

E música? Não tenho uma música preferida, gosto de muitas. Não tenho uma banda favorita, gosto de muitas. Pensei na frase que mais falo: foda-se. Bah, lógico que alguém já registrou esse nome. Enquanto chafurdava nas dúvidas, abri o iTunes e comecei a ler os nomes das músicas. E tem uma música que eu adoro, mas adoro ainda mais o nome: "You and I misbehaving". Acho esse nome sensacional porque sugere muita coisa. E parte das coisas são safadinhas e eu acho que coisas safadinhas são necessárias pro bem-estar das pessoas e convivência em sociedade. Mas não queria usar o nome da música mesmo, é meio pagação de pau e eu já disse: não tenho ídolos nem música favorita.

Foi aí que após muitos neurônios perdidos e tempo gasto nasceu meu Maxwelsinho. Deu trabalho e eu sou mãe coruja, por isso, caso tenham achado esse nome uó, façam exatamente como todo mundo faz quando vê um bebê que mais parece um filhote chorão de pug sem pêlos na cara no colo da uma mãe orgulhosa e com um sorriso bobo nos lábios: minta. Descaradamente.

"Nooooossa, que nome genial!"

Obrigada, obrigada.

6 comentários:

Carol disse...

Nem li ainda, mas adorei a tendencia de mercado! hahahhahahaha

Beijo, gata!

Miru disse...

Eu paquerava um menino liiindo no colégio que um belo dia me deixou toda tchans pq finalmente veio falar comigo.
"Oi, qual o seu nome?"
"Mirian, e o seu? ^_^"
"Tabajara..."
"AHAHAHAHAHAHAHA"

E assim terminou meu flerte...

Bem-vinda, miguxa. Tava com saudade dos seus textos. :)

Ps: O nome da Fernanda Montenegro não é Arlete?

Lacerad disse...

Broxadas não geram raiva, a não ser em casos de repreão masculina. Mas eu adorei o texto...

Alice disse...

Nem li, mas já gostei =D
Beijos
Re

lilla disse...

hahaha

justin, justin...

Alê disse...

Mina, eu morro de rir com seus textos! MORRO!
Por favor, escreva todo dia porque eu já viciei.
By the way, eu acho pugs bonitinhos. Sério. :)
Beijo.