quarta-feira, 31 de janeiro de 2007

Cedo demais

Sete da manhã. Repito: sete da manhã. E eu já estava na sala da empresa-de-comidas-com-salas-geladas onde dou aula. O que isso significa? Que era cedo DEMAIS pra qualquer ser humano ter seu cérebro funcionando de maneira normal. Além de tudo o ar-condicionado estava GELANDO a sala. O dia estava amanhecendo nublado e cinzento. Eu tinha voltado de férias há apenas três dias. Em outras palavras: eu não tinha humor. Ele tinha ficado na Bahia, em algum lugar entre Salvador, Morro de São Paulo e Praia do Forte.

Chega o aluno. E eu tenho um botão de sorriso automático quando estou trabalhando. Aliás, dar aulas é a ÚNICA coisa que me faz acordar cedo com o cérebro já acordado. Porque todos sabem, acordar não é a mesma coisa que estar com o cérebro acordado. Pois bem, apesar de todo o cenário desfavorável, eu sorrio e a aula começa. Eu só tinha dado aulas pra esse cara uma vez, mas o vi na empresa centenas de vezes. Simples: eu vou lá todo dia. Conheço muita gente. E ele não é exatamente discreto ou pequeno (eufemismo-mo-mo), é fácil reparar nele. Ele me conta que tem 4 filhos. QUATRO? Quase caio da cadeira, achei que ele fosse mais novo. Minha cara de perplexidade (PORRA! Quatro filhos? Aos 31 anos? O cara é uma máquina da fertilidade, não quero mais nem apertar a mão dele) é meio evidente, aí ele pergunta:

- Mas por que o susto?
- Não pensei que você tivesse filhos. Ainda mais quatro! Mas vamos abrir o livro e...
- Eu não pareço ter 4 filhos? Foram 3 casamentos, agora estou solteiro de novo.
- É que você parece um pouco mais novo, não sei. Olha, é a página tal.
- Por que você achou que eu fosse mais novo?
- Astrobaldo, vamos começar a aula?
- É que fiquei curioso, tivemos só uma aula e você já pensou na minha idade...
- Não, é que eu sempre te vejo pela empresa e...
- Sempre me vê? Quer dizer que você andou reparando em mim, é? *sorriso maroto*
- Eu venho aqui quase todo dia. Vejo muitas pessoas. Normal eu te ver entre elas, não? Eu vejo um monte de alunos entre as muitas pessoas que encontro aqui na empresa. Página tal?
- Ah... Entendi... *muxoxo*

E aí eu repito: eram apenas SETE da manhã. A vida de professora decididamente não é um mar de rosas.

7 comentários:

lilla disse...

hahahaha

o cara super na pegada de fazer o 5º filho, chuzita.

Dani Meirelles disse...

Ai, que preguiça.

Sabrina disse...

Hahahaha, ele queria muito te jogar no chão e te fazer mulher, ali mesmo, às 7h da manhã!

Alê disse...

Eu me pergunto como é que um ser humano consegue xavecar às 7h da manhã! Por Deus!
Adorei saber que você tá de bloguinho novo. Já te linkei, looooógico.
Beijo.

Klein disse...

A minha única aluna nesta vida não tinha filhos ou tinha casado. Tampouco me xavecava. Era mais uma relação de ódio mútuo mesmo, você sabe..

Quinho disse...

É por essas e outras que o cara tem 4 filhos. Ele consegue passar um xaveco as 7 da manhã. Eu não consigo parecer humano num horário tão obceno.

Catarina disse...

Obs-ce-no