quarta-feira, 11 de março de 2009

Dois pra lá, dois pra cá

Três semanas sem ir à aula de dança. Pior: sem dançar NADA (pular em blocos carnavalescos não conta). Cheguei a pensar que não sentiria tanta falta, cheguei a pensar que, sei lá, eu conseguiria parar de fazer o curso. Porque eu mudei de horário e agora faço aulas das 21:00 às 22:30. O que significa chegar em casa, num dia de semana, depois das 11 da noite. Sendo que meu dia começa com aulas às 7:30, todos os dias. Eu cheguei a pensar muita coisa, por pura ingenuidade. A quem quero enganar? Nem a mim mesma eu consigo. Porque a verdade verdadeira absoluta é que eu amo meu curso de dança. Mesmo sendo sacrificado (é caro e eu fico muito cansada), mesmo não sendo o mais próximo de casa, mesmo que eu deteste quando tem tango e a professora não me deixe sair da sala pra me refrescar nessa hora: a grande paixão da minha vida é dançar. É um fato comprovado que ficou bem claro pra mim com a minha euforia na aula de ontem.

Primeiro que eu cheguei na escola com um sorriso que dava voltas em minha cabeça. Segundo que eu cumprimentei quase todas as pessoas da turma com um beijo no rosto, um sorriso e nenhuma resposta torta quando algum engraçadinho me dizia que sumi do curso porque comecei a namorar (sério, NADA a ver). Eu não sou uma pessoa de beijinhos em pessoas que não são amigas ou no mínimo colegas queridas. Pois é, ontem fui Miss Simpatia. Quando começou a dança eu parecia pinto no lixo. Até tango eu dancei sem reclamar. Errando tudo, mas sem reclamar.

Eu nunca pensei que teria, na minha vida, um hobbie que me desse tanto prazer e alegria. E me fizesse tão bem. Nunca pensei que conheceria pessoas tão, tão queridas. E até as que não são amigas e não são tão queridas, são tão pitorescas que rendem histórias - e eu adoro uma historinha bizarra, vocês bem sabem. Ontem quando a professora me viu, brincou dizendo que ia puxar minha orelha pelas minhas faltas. Eu ri, disse que ela podia mesmo me dar bronca, mas minha vontade era dizer "fia, nem que você me chibate, nem que eu fique um mês sem vir - a verdade é que vocês não se livrarão de mim tão cedo".

:-)

5 comentários:

Amanda disse...

Quando eu fazia teatro era assim que eu me sentia, porém por causa de um monte de problemas [inclusive dependencia financeira], tive que abandonar.. Realmente uma pena =/

Por isso te falo, nao desiste meeesmoo!! \o/

Nina disse...

hhh eu fiz dança de salão um tempão mas tive que largar. Sobrou só o sábado.
Semmmmmmmm Condições.
Mantenha-se firme nas aulinhas que é mesmo muitooooo bom.
Bjo e parabéns pelo blog. Dei uma lida geral :-)

Jussara disse...

Oi, Chu. Primeira vez que comento, mas acompanho seu blog desde que vi um comentário seu no blog da Renata (Tantos Clichês) e nunca mais parei de ler (foi mais ou menos na época em que vc fez um post perguntando como seus leitores chegaram aqui. Quaase respondi, mas fico tímida pra comentar pela primeira vez). Daí que gosto mto do jeito que vc escreve. Vc escreve mto bem sem ser pedante e ainda faz graça mesmo de assuntos tristes ou cotidianos. Eu ria mto dos seus textos sobre os "personagens" das aulas de dança (e até já indiquei pra duas amigas lerem). Eu sempre quis aprender a dançar. Quase no final do ano passado comecei, e estou adorando, e agora estou relendo seus posts antigos sobre dança. Super me identifico quando leio sobre os caras fedidos, "bafudos", suarentos, etc. Como agora há identificação (e solidariedade, rs) eu acho mais engraçado ainda. Com isso "só" quis dizer que gosto mto do seu blog e que bom que vc voltou a dançar. Eu tb adoro e pra mim tb tem sido terapêutico. Desculpe o comentário enorme, mas meus primeiros comentários sempre são assim , pq resolvo explicar tudo do "início" :/.

P.S.: de uns tempos pra cá toda vez que entro no blog aparece uma janela pedindo nome de usuário e senha, clico em cancelar e ela some. Vc sabe dizer o que é?

Amanda disse...

"me dizia que sumi do curso porque comecei a namorar (sério, NADA a ver)"


poiseeeé, começou a namorar, esqueceu do blog!!

prontofalei!

Beijo!

bjomeliga disse...

Eu acho tão, mas tão legal essa sua coisa com a dança, que dá até uma invejinha. Eu nunca consegui realmente gostar de uma atividade fora daquilo que eu preciso fazer.