sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Meu Voldemort pessoal

Não me lembro o motivo, mas no mundo de Harry Potter os bruxos e bruxas não falavam o nome do Voldemort. Chamavam o malvadão de "Aquele que não pode ser nomeado". Aí chegou Harry, que bateu seu pau juvenil na mesa e disse "Tão pensando que o bruxão é bagunça? Vamos chamá-lo pelo nome sim, não vamos dar a ele ainda mais poder".

Por muitos anos foi assim com o câncer. As pessoas não mencionavam o nome, chamavam de "aquela doença". Anos de avanço na medicina e já se fala o nome, mas ele ainda é cercado de tabus. Câncer, infelizmente, ainda é associado a morte. Falar que você tem câncer quase que automaticamente te sentencia a um ser moribundo.

É uma doença assustadora. Eu entendo as pessoas não quererem falar a respeito. Entendo mesmo. Mas desde que eu confirmei, essa semana, que tenho câncer na tireoide, eu parei de chamar de "nódulo maligno" e chamei de câncer mesmo.

É o que é. É esse o nome. É esse o meu Voldemort pessoal e eu não vou dar a ele mais poder que ele já tem. E tenho tentado falar a respeito o mais abertamente e diretamente possível.

Não corro risco de vida e a cura, em casos como o meu, chega a 100%. Estou confiante.

E triste. E é direito meu estar triste e preocupada. Vou fazer cirurgia, minha vida vai mudar. Mas quando o médico confirmou, não foi uma sentença de morte, longe disso. Foi a certeza de que vou travar uma pequena batalha contra algo ruim no meu corpo. E vou ficar boa.

10 comentários:

Pri S. disse...

Que vc passe por isso da melhor maneira possível. E que tudo fique bem. :-)

marie disse...

só pela sua abordagem ao assunto, dá pra sentir que vai dar tudo certo. leio seu blog há anos, e nunca comentei... mas hoje, com essa notícia, tive vontade. minha mãe teve câncer na tireóide em 2005 e se recuperou totalmente - tratamos dele exatamente assim, ela e eu: é câncer, vamos tirar, tratar o corpo, e fim. deu certo, e vai dar pra vc tbm! se quiser conversar, estou aqui.

Sabrina disse...

eu também nunca comentei, mas fiquei com vontade de vir te dar uma força: minha mãe teve quando eu era criancinha (uns 23 anos atras), fez a cirurgia e foi um total sucesso. Recentemente, minha sogra também fez e tudo belezinha =D

Espero que tudo corra bem com vc :D

Di disse...

q vc tenha mta força pra enfrentar essa batalha! e vai sair vitoriosa, sim! =)

Lívia disse...

Vai dar tudo certo!

Ana disse...

Vai dar tudo certo, Camila, uma tia minha teve esse tipo de câncer uns anos atrás, ela se curou rapidinho e tá firme e forte por ai, tenho certeza que você vai se sair bem dessa! Muita força pra ti :D

Jussara disse...

Também acho que vai dar certo, e concordo que falar sobre é melhor. Muitas pessoas ainda evitam falar o nome da doença, e os médicos dizem C.A. Mas acho que dizer o nome e enfrentá-la é a melhor atitude mesmo. É uma doença que assusta, claro, mas o importante é saber que tem cura. Me lembrei do post em que você disse que o médico zombou da sua dor; achei revoltante, mas estou só com celular e não comentei. E agora, o que será que ele diria? E o que disse que qualquer coisa era só tirar? Cada vez espero menos de médicos alopatas, quanto mais especializados mais desumanos ficam.
Se você quiser uma visão diferente ( e na minha opinião mais completa e humanizada) e um "apoio" para que seu corpo e mente se reequilibrem mais rapidamente antes e/ou depois da cirurgia eu indico fazer um tratamento com um médico homeopata paralelamente ao tratamento alopático (ao contrário do que dizem não é uma medicina "alternativa", é uma especialidade reconhecida pelo CFM). Em SP há alguns excelentes. Meu homeopata é paulistano e já indicou alguns para amigos que moram aí.

Força e fé, e que tudo corra mais do que bem!

Livia Ferreira disse...

Você está fazendo muito bem em chamar pelo nome. É normal se angustiar diante de um diagnóstico tão estigmatizado. E a angústia é uma energia muito forte, se ela não sai pela boca (pela linguagem), acaba encontrando outra via...

Por isso é importante também que você tenha um espaço onde possa falar abertamente disso, dos seus medos e sofrimentos, sem que te interrompam com o "pense positivo, pára com isso, vai ficar tudo bem". Todos temos certeza disso, mas é importante poder falar, repetir, desabafar o quanto você ache necessário.

E conte comigo pro que for preciso! Quando terminar o tratamento, venha passar uns dias no NE pra gente pegar uma praia ;)

Carol disse...

Fazia muito tempo que eu não vinha aqui e hoje entrei e encontrei essa notícia triste. Boa sorte! Fique bem!

Jac. disse...

Eu só li o post hoje, espero que você enfrente tudo isso da maneira que achar que é melhor para você. Não é fácil, mas eu acredito que você vai vencer. Deus te abençoe. Bjs