quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Fake it until you make it

Eu estava fazendo tratamento com Roacutan e tive que parar porque ele interfere na cicatrização e brevemente terei meu pescocinho aberto e depois costurado, como vocês bem sabem. Precisei, então, ir à dermatologista para levar meus exames de sangue de rotina desse tratamento e para pedir que ela me desse um antiidade (o Roacutan funciona como antiidade, sabiam dessa?).

Cheguei, falei que tinha parado, expliquei o motivo e a médica me lançou um dos olhares mais empáticos que eu recebi até hoje. Começou a me perguntar várias coisas sobre a cirurgia, como eu descobri o Voldemort, etc. Disse que minha pele está ótima (YAY) mas preciso tratar dos melasmas (33 anos na fuça e já com tendência a melasma).

Tergiverso.

Tudo isso pra contar que, no final, ela me disse que eu estou com um astral ótimo e que ela tem certeza de que vai dar tudo certo porque estou bem e isso é visível.

Antes de mais nada, esclareço: eu não sou uma pessoa alto astral. Tenho meio preconceito com essa expressão, acho que é coisa de gente que é feliz o tempo todo e isso me dá preguiça. Não sou uma pessoa triste nem melancólica, mas alto astral JAMAIS. Mas alguém com um bom astral é diferente de alto astral, né? Então é isso, tô com bom astral. Eu. Bom. Astral.

Amigas e amigos meus há muitos anos, o que vocês acham disso? ;)

---

Alguns amigos comentaram comigo que a maneira como estou lidando com tudo isso é muito legal e motivo de orgulho. Disseram que estou forte. No final, acho que sou mesmo uma pessoa forte. Mas eu estou lidando com tudo isso da melhor maneira possível não porque sou "alto astral" ou coisa assim; e sim porque tenho um tipo de câncer que não oferece grandes riscos, um carcinoma isolado, que sai junto com a tireoide e não vai deixar rastros. Não terei que fazer quimioterapia, não passarei por nenhum tratamento sofrido. Se eu estivesse com um tipo de câncer mais complicado eu provavelmente estaria surtando de preocupação e de tristeza. Além disso, eu tenho todo o apoio do mundo do meu marido, família, amigos - até de leitores do meu blog que eu não conheço, mas me deixam comentários tão bacanas.

Quando penso nisso tudo eu penso que sou uma pessoa de sorte - sem zoeira e sem conversinha. Dos males o menor. E ainda com todo o apoio possível. O que quero dizer é que, de certa forma, não é difícil, para mim, essa tentativa diária de estar bem / manter positividade / não me desesperar. É um exercício diário. É mesmo um "fake until you make it". I'm making it. Por esforço meu - mas não sei como estaria meu esforço numa situação mais complicada.

(o que não quer dizer que a situação toda seja fácil. Não é, tá, pessoal? Eu só quis dizer que eu me forço a ficar bem, pro meu próprio bem. E de tanto me forçar, acabo acreditando que tudo vai dar certo. É mais ou menos isso. Não quis dizer que tá tudo "de boa na lagoa")

2 comentários:

Jussara disse...

Menina, já tem antiidade em cápsulas na praça? Eu quero! Minha dermato falou que ainda não existem provas, estudos ou sei lá o quê que comprovem que o Roa aja como antiidade, nenhum dos pacientes dela toma com esse objetivo. Já ouvi dizer que atrizes de Hollywood tomam, mas eu acho esse remédio tão trevoso que eu jamais tomaria com essa finalidade, os efeitos colaterais são muitos; eu li um fórum em inglês que falava até em diabetes por causa do mau funcionamento do pâncreas, e eu não duvido. Só quem já tomou e sofreu os efeitos nada legais que ele provoca sabe como é. Eu acho que para tratar acne severa ou reincidente ele é ótimo, mas há um preço alto a se pagar, nos dois sentidos. haha
Claro que quem toma pra tratar a acne ganha de lambuja uma renovação da pele, mas usar a isotretinoína ou seus derivados em forma de creme faz o mesmo efeito, só que demora mais.

Mesmo não te conhecendo pessoalmente eu tb estou achando a sua atitude bastante positiva, e isso vai te ajudar. Fácil não deve ser mesmo, não consigo nem imaginar, mas vc vai conseguir vencer essa. Que bom que não vai precisar de quimioterapia, um ótimo sinal.

quefalagentnormal disse...

Chuzão, eu sempre achei que vc tem um astral bom. É que a palavra "astral" leva nós, toscas que somos, a imaginar hippies na comunidade que a Sandy tinha naquela novela. Mas no sentido de ser agradável e não levar a vida como se ela fosse um grande martírio, você é, sim, uma pessoa com um astral DA HORA. Você sofre quando tem que sofrer, mas só quando precisa. Porque as vezes a gente precisa, né? Por pouco tempo, porque aí já levanta e resolve tudo.
Além do que você é meu exemplo de pessoa que consegue fazer da dificuldade um aprendizado imenso, e vc nem é chatona da auto ajuda que fica "EU APRENDI QUE"... Não, fica apenas visível. Você vai lá e faz o que tem que fazer.
Isso é como eu te vejo.
E acho excelente que vc continue assim, não só agora, mas pra tudo na vida. Cada vez mais tenho sacado que quanto mais a gente vira a Hiena Hardy, parece que vai ficando pior e pior. As vezes é bom sim fazer a louca positivista. Uma hora a gente encontra o balanço e fica tudo bem. Sem ser a Hardy, muito menos uma versão humana de "O sucesso é ser feliz". :)