domingo, 16 de março de 2008

Observações

- Ontem, voltando da aula de dança, de busão obviamente; um grupo de 4 meninas se esbaldava com um celular com MP3. Dança do Créu. Aí um grupo de manos no fundo do ônibus resolveu competir e colocou algum poperô bem UÓ (embora poperô e uó seja pleonasmo). Resultado: salada "musical" barulhenta e eu amaldiçoando a porra da inclusão digital´. Porque sério, dá um computador e um celular com MP3 pra esse povo que é certeza de dar merda. Não sei de onde saiu a idéia de que ouvir barulhos no busão, sem a merda do fone de ouvido, é COOL. Não é. É uma merda e eu fico revoltada sempre. Quando as meninas começaram a FAZER a dança do créu, incluindo aí todas as velocidades, SENTADAS, sendo que uma delas estava sentada no colo de uma outra, eu amaldiçoei não só a inclusão digital como o fato d'eu ainda não ter um carro.

- São Paulo é a cidade da gastação desenfreada. Puta merda, você sai prum cinema e, num piscar de olhos, gasta 40 reais. 40 fucking lascas. Numa noite de cinema. Eu acho um disparate. É preciso ter grana pra aproveitar essa cidade, porque tudo aqui é caro. Aí eu sonho que despoluam o Rio Pinheiros e seja criado um parque ao longo de sua margem. Tá. Que é mais fácil eu me mudar pra Paris do que isso acontecer.

- Essa é possivelmente a coisa mais besta que eu já escrevi aqui (embora eu saiba que eu escrevo coisas bestas demaaa-aaa-is), mas na semana passada eu acabei faltando à minha aula de dança pela primeira vez sem ser por feriado/viagem. Aí ontem quando eu cheguei meu professor veio me dar um beijo de oi e "brigar" comigo por eu ter faltado, disse que eu fiz falta. Achei tão fofo. E não, ele não quer me comer.

- Eu comecei um blog em Inglês. Pra praticar a escrita e melhorar meu vocabulário e pra manter contato com amigos gringos que não lêem o que escrevo porque está tudo em Português. Além disso pretendo ler mais blogs em Inglês e comentar e estabelecer contatos, e acho que fica mais bacana se eu tiver um blog mais internacional. A idéia é que eu vou contar histórias que acontecem comigo, como eu faço aqui sempre. Mas lá vou também escrever o final que eu quero/imagino. My way - os textos também são longos, não consigo evitar, hehe. Se você vir algum erro ou tiver sugestão de vocabulário, sinta-se muuuito à vontade pra me dizer nos comentários. Minha intenção é mesmo melhorar. :-)

9 comentários:

bjomeliga disse...

Eu acho a inclusão digital o maior mal dos aos 2000, sério. Quem não tem bom gosto - ou pelo menos bom senso - não deve participar da brincadeira.

E me passa o link das galochas de caveira. Nem que seja só pra eu dar uns suspiros...

Lorde David disse...

Inclusão digital é um eufemismo petista para exame de toque retal. Só aquelas antas bem intencionadas que não perceberam no que isso viria a dar.

meucanto disse...

Amiga, eu senti a sua dor... ninguém merece som alto no busão... isso é pior do que castigo...
Vou dar uma bisbilhotada no seu blog em inglês...
beijos

Felipe disse...

40 conto numa noite de cinema? 20 conto para o cinema e 20 conto para comer?

SO WHAT?

EU sei quanto você ganhar, Scrooge!

Quer moleza, mastiga água de cabeça para baixo!

Chu disse...

Darling, vou te passar. Se quiser se adiantar, é o blog "don't believe the hype", está linkado no meu outro blog.

David, HAHAHAHHAHAHHHAAHHA, adorei!

Ro, isso porque você, que está nos U S and A ainda nem deve saber o que é o créu. Quando você souber vai entender mais ainda a minha dor.

Felipe, seu jeca. Scrooge o caralho, 40 reais numa noitinha de cinema é caro sim.

Felipe Lobo disse...

É, quem disse que o povo precisa de inclusão digital não é mesmo? Ao menos essa baboseira de celularzinho com mp3. Não sabe brincar não brinca.
Outro dia estava na lotação (quem manda se pobre...) e lá estava o rapaz, feliz, com seu moleton com capuz e um boné dentro, com seu celularzinho bacana, ouvindo um funk qualquer, balançando a cabeçona (dançando?) e achando que é "o maior legal". Dá vontade de apontar pro aviso que é proibido qualquer aparelho sonoro. Qualquer dia eu faço isso mesmo - e tomo um tiro, pra aprender a ficar quieto! hehe

Blog em inglês? Uia, vou ler também. Não costumo comentar muito aqui, mas sempre leio os seus posts. Divertidos, inteligentes e às vezes mau-humorados. Adoro.

bjo

Chu disse...

Felipe, eu compartilho de sua máxima: não sabe brincar, não brinca. Eu tenho vontade de apontar pra placa sobre ser proibido o uso de aparelhos sonoros, mas geralmente o motorista da van TAMBÈM ouve radinhos. Aí fode o juízo: é pedir pro cara arrancar com o veículo enquanto eu estiver descendo.

Confesso que fiquei intrigada com o "mau-humorados". Fiquei pensando se ando mal-humorada demais ultimamente ou coisa assim. Mas vc está certo, eu escrevo posts bem cheios de mau humor mesmo. Mas só às vezes, haha.

E estava mesmo sentindo falta de seus comentários. Apareça mais vezes!! :-)

Paulo Tiago disse...

Assim... eu pego busão todo dia, e sempre tem uns caras desses. Incomoda? Ô, pra caralho! Mas, sinceramente, eu não ligo, porque o AC/DC que eu escuto, por exemplo, pode ser tão ruim pra ele quando o funk seria/é pra mim... tô meio que bancando o "protetor dos fracos e oprimidos", mas é que o cara não sabe usar porque nunca teve acesso, e de repente cai no colo desse povo. É mais fácil xingar quem nunca deu educação pra eles do que xingar o povo em si, não? =P

(mas não nego: dá vontade de dar um tiro ou deixar tocando pra enfiar o fone no rabicó dessas meninas)

Chu disse...

Paulo, é inegável: você é uma criatura fofa. Fiquei me sentindo uma insensível por criticar tanto as pessoas de musiquinha de celular. Mas enfim: eu REALMENTE não suporto celular no speaker em lugares públicos. Não sou maternalista, acho que as pessoas têm obrigação de ter semancol, hahaha.