quarta-feira, 21 de março de 2007

The Empress behind the door

Ou... Filosofando e cantando e seguindo a canção.


Na porta de uma das salas de uma das empresas onde vou dar aula está colada essa placa. A porta é de madeira e está na entrada de um corredor, ou seja, grande circulação por ali. E mais um "ou seja": ou seja, quem quer entrar pra esse corredor não vê quem está ali, atrás da porta. Pode haver alguém ou não. Que pode ser machucado com uma portada na cara ou não.

É engraçado como dois atos absolutamente inocentes - abrir a porta e estar atrás da porta - podem causar problemas. Quem abre, descuidadamente e sem pensar que pode haver alguém ali atrás que possa se machucar, pode argumentar: "mas ei, eu SÓ abri a porta. Tudo que eu fiz foi abrir uma porta, nunca pensei que te machucaria". E quem está atrás da porta pode dizer "mas ei, eu SÓ estava querendo passar, nunca imaginei que quem está tentando abrir a porta não teria a idéia de abrir com cuidado. Falta de noção!".

Um só queria abrir a porta, o outro só queria passar. Não há erro nisso, de maneira alguma. Problema é querer abrir a porta de sopetão, com pressa, sem jeito, querendo apenas passar sem pensar em quem está ali do outro lado. Problema é estar do outro lado da porta sem considerar que pode haver alguém querendo passar e esse alguém pode ser descuidado e abrir a porta como se não houvesse amanhã.

Tudo isso só porque um queria abrir a porta e o outro queria passar. Um foi descuidado e o outro não se protegeu.

Acho belo filosofar a partir de placas nas portas. Pelo menos não foi a partir de "entre sem bater" ou "visite nossa cozinha".

7 comentários:

lilla disse...

nem sempre a gente está passando atrás da porta, tá? a gente abre, também.

reflita ok

Margot disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Margot disse...

"e esse alguém pode ser descuidado e abrir a porta como se não houvesse amanhã" aka: egoísta?

Holly disse...

Metáfora interessante. Essa minina é tão inteligente, tem tantu juízu... HEHEHEHEHE
Fofura, ailoiviuuuu. Mas não conta para a Miru!@

Sabrina disse...

É, o pior é que a gente às vezes abre, fecha, bate, empurra, soca, chuta, cospe e bate a cabeça contra ela até. Mas, em alguns casos, ficamos encolhidinhas atrás da porta, parece que só esperando alguém entrar chutando. Na verdade, podemos até ficar atrás da porta, mas é sempre bom deixar o pé ou o cotovelo protegendo o resto...

Diabo disse...

Adoooooooooro placas em que as pessoas se machucam!!!

Rafael disse...

Falha de projeto.