sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Open your eyes, look up to the skies and see...

Bohemian Rhapsody é uma das minhas músicas favoritas de todos os tempos. Acho vibrante. Geralmente eu me emociono quando a escuto. No "Claro que é rock" de 2005 o Flaming Lips, que é uma banda que nem me diz nada, fez uma performance LINDA dessa música e eu chorei, mas chorei mesmo. Esse ano, no último episódio de Glee, uma das apresentações foi de "Bohemian". Abri a torneirinha lacrimal mais uma vez. É amor mesmo pela música.

E aí que eu cismei que quando eu me casar com festa eu quero entrar no recinto (que não será igreja, certamente) com essa música. Acho que seria super emocionante (para mim, é claro. Dizem que a noiva é a figura mais importante de um casamento. Eu discordo. Mas na minha entrada eu posso ser egoísta, não posso?). O problema é que a música fala sobre um cara que atirou em outro e esse outro morreu. Segue-se então toda a saga do pós tiro num clima de ópera. Sei que nem todo mundo entende a letra e acaba focando na melodia, que é linda. Mas eu sei o que quer dizer. Meu namorado sabe. Muitos dos meus amigos, idem. Li um texto excelente que fala sobre músicas inapropriadas para casamentos. Bohemian seria uma delas, caso o Vinício tivesse aumentado a lista.

Então fico nessa super dúvida útil que consome parte do tempo que eu não tenho. Dúvida sobre algo que nem tem data para acontecer, mas se o universo é incoerente, por que eu também não posso ser?

A verdade é que meu maior medo não é que o significado da música interfira de alguma maneira na felicidade do casamento. Não tenho receio de que role um jinx. Meu medo real é que meu namorado, em toda sua generosidade, me diga: "pode tocar essa música, amor, não me importo! Mas se você pode tocar essa música, eu posso casar vestido de Batman!". Ele sempre fala que quer casar vestido de Batman e eu sempre veto a ideia, por motivos óbvios. Mas tenho que ser justa: se eu posso uma extravagância, ele também pode. Pensem, pessoas, pensem. Batman e Bohemian Rhapsody. Isso é um casamento ou uma falta de noção compartilhada?

3 comentários:

Livia disse...

Eu ri, fiquei imaginando a cena!! Você entrando, chorando, a música tocando e o batman bem sério te esperando!! Ia ser demais!
Mas compreendo bem, eu quero porque quero tocar "O casamento dos pequenos burgueses", do Chico Buarque, no meu casamento. Com direito a ensaio fotográfico tipo fotonovela dramatizando os versos, já imaginei cada foto. A música pode ser interpretada como um casal que se odeia, mas eu acho ela tão bonita, a mim parece um casal que, haja o que houver, vai estar junto.
O marido (moramos juntos, mas queremos casar) já concordou com a música, mas tá difícil convencê-lo da fotonovela...

Beolina disse...

Nhaí que casamento é uma falta de nocão compartilhada, ora bolas! Eu me caso amanhã e eu e noivo criamos uma cerimônia especial pra ocasião, que acontecerá num hotel, pela manhã, se igreja nem nada, tudo bem diferentinho do que minha família ultra tradicional tá acostumada.. Faz aí o que tu quer e deixa omoço fazer o que ele quer, no mínimo vai ser divertido e vocês terão uma história legal pra contar, ó.
Beijos!

Pri disse...

Que falta de noção que nada! Já tô achando divertidíssimo o noivo de Batman!
No nosso casamento, marido opinou em tudo e foi do nosso jeito... saímos ao som da musiquinha da propaganda do Mercado Livre (aquela do beijo, lembra?), porque ela passava muito na época que nos conhecemos e a gente achava super fofa.
Vale tudo, desde que seja o que vcs querem!
Beijo, Pri.