quarta-feira, 24 de outubro de 2007

"Perca" de glamour

Toda vez que eu sou obrigada a correr para pegar algum ônibus eu sinto que perco pontos na Escala do Glamour. Sinto-me tão... parte da patuléia, sabem? Assim como ônibus extremamente lotado arranca nacos de minha elegância, já que as creiças com cabelo de Kolene passam por nós, pessoas garbosas, arrancando pedaços (isso quando não deixam um pouco de creme de cabelo, mas isso é pesadelo demais pra lembrar). Por isso que tomei uma decisão há algumas semanas que tenho conseguido cumprir: saio 5:50 da manhã de casa, mas não pego ônibus com ceresumanos pendurados na porta. Mesmo porque a logística é impossível: minha bolsa é grande e minha mochila idem, não tem nem como pensar em passar a catraca com essa bagagem e pessoas te esmagando. Sei que estar de pé à essa hora da madrugada é proletariado style, mas não se pode fazer nada contra os ossos do ofício. E quanto a correr pra pegar ônibus, me recuso. A não ser que seja caso de vida ou morte. Mesmo porque as calçadas são esburacadas demais pros meus saltinhos e, vocês sabem, essa cidade é um matadouro para pessoas finas.

Podem me chamar de fresca, eu adoro. Eu só acho que o suor do populacho, depois de trabalhar, passar Très de Marchant e correr pra pegar o transporte público não é o que eu chamo de odor agradável. Pardon.

12 comentários:

Felipe disse...

Aqui em Boston tem um um ônibus que é um luxo, ele passa uma vez a cada bimestre e cabem três pessoas, e ele é feito sob encomenda numa fábrica na alemanha, mas é um luxo... aposto que quando eles instituírem esse no Brasil você vai se regalar...

Marie disse...

ahhazzou!!! concordo plenamente com vc!! correr atras de onibus é uoh, ainda mais de salto,bolsa, mochila e tudo junto ao mesmo tempo!!!

Prometeu Acorrentado disse...

Eu nunca corro. Mesmo que esteja com roupas específicas para corrida. Ou o ônibus me espera ou o resto do mundo me espera, afinal, nenhum compromisso é tão importante que mereça isso, certo?!

Lorde David disse...

Digo que quem, com atributos de perua, dirige Jaguar ou SUV e xinga os pobres pedestres que só querem poder atravessar a rua na faixa e em paz, é tão ou mais deselegante que o populacho dos ônibus. Isso quando quase não atropela alguém na calçada, quando sai nervosinho, estressadinho, engomadinho e apressadinho de garagens de prédio. Um beijo.

Renata disse...

ai, e quando você tem que ir trabalhar e tá chovendo e a rua é uma grande lagoa de água suja?

um pedacinho de mim morreu ontem...

Patricia Scarpin disse...

Chegava atrasada à faculdade direto pois não tinha coragem de entrar no metrô lotado.

Chu disse...

- Fe, só se o motorista do ônibus for feito de moléculas geneticamente modificadas.

- Marie, ônibus lotados e calçadas esburacadas não foram feitos para meninas pheenas.

- Prometeu, você me entende! (L)

- David, é sempre assim. Eu reclamo da minha vida proletária de pegadora de busão e sempre vem alguém, nos comentários ou via MSN, dizer que tem motorista de carro que também é deselegante, que eu sou elitista, que eu sou escrota (eu sei que vc não disse isso), que eu falo mal do populacho. E eu digo: falo mesmo. Continuarei falando. Porque é a minha realidade, infelizmente. Á verdade é que falta de elegância, classe e educação não têm nada a ver com dinheiro. Só que eu não tenho contato com motoristas de Jaguar, só com creiços no Terminal Princesa Isabel.

- Renata, e quando os carros passam com tudo pela poça de água suja e jogam a água nojenta toda em cima de você?

- Patrícia, eu sou partidária de sua atitude.

Paula disse...

Eu também sou partidária da atitude da Patrícia e também concordo com o Prometeu acorrentado, nada é tão grave que mereça uma corrida. De-tes-to.

Lorde David disse...

Mas de forma alguma eu pretendi rebater o seu ponto de vista. Fou só um complemento. E, eu por outro, lado, tenho sempre contato com esses motoristas, inclusive literalmente, quando um fez o favor de acertar o pára-choque na minha perna. Um beijo.

Carlos Wilker disse...

e a volta da faculdade, a noite, no buzu? meu deus, eh um inferno diferente toda noite.

Daia disse...

eu estudei com o cara que fez o comercial antigo do très de marchant.
"que perfume delicioso, é o seu desodorante?"
e a mina cheira o sovaco do cara que estudou comigo.

Chu disse...

Paula, adoro quando você comenta! Nhóim!!!

David, eu entendi que você não quis rebater meu ponto de vista. Mas deixar as coisas claras nunca é demais, hahaha!

Carlos, viagens em ônibus urbanos são sempre um inferno diferente. Ao menos ninguém fica entediado. :-P

Daia, eu me lembro desse comercial. Vergonha alheia. E mais V.A. ainda pelo "ator" e pela "atriz". Imagine colocar no seu curriculum que você já fez um trabalho em que cheirava o sovaco alheio. Ugh.