quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Eu tenho preconceitos com muitas coisas e admito isso sem pudores. Porque sabem, não existe isso de "eu não tenho preconceitos" ou "eu sou sossegado e ok com tudo". Se você é sossegado e ok com tudo você é bem apático, me desculpe. Todo mundo precisa de uma implicanciazinha pra ser feliz ou pra mostrar que consegue não ser uma mosca morta. Eu não suporto gente sonsa/songa monga que está sempre ok com tudo. Preconceito admitido. Detesto com todas as minhas forças pegar ônibus lotado. Sempre detestei. Não gosto de gente roçando em mim, não gosto de desconforto, não gosto de ficar em pé e gosto menos ainda de pessoas que ouvem música no ônibus usando o speaker do celular ao invés dos fones de ouvido. Isso me enerva tanto que eu sempre me imagino dando um salto mortal até chegar no cerumano, seguido de golpes de karatê pra tirar porra do celular que toca algum maldito sertanejo ou famigerado pop rock. Eu não suporto esse termo: pop rock. Tenho preconceito. Porque gostar de pop rock é o mesmo que dizer que é eclético, ou seja, significa que você ouve Metropolitana FM e acha que NX Zero é a nova promessa do rock. Em outras palavras, você não vai além.

E aí, pra corroborar essa teoria inútil de que pop rock é coisa de gente idiota, hoje recebi um scrap da menina citada no post anterior convidando os miguxos para irem à festa de aniversário dela. Numa balada show (mais um preconceito: quem fala "balada" como se fosse o máximo e quem usa "show" como adjetivo para tudo. Essas duas palavras na mesma frase me dão siricoticos) onde haverá duas pistas: uma com pop rock e outra com psy, eletrônica e pancadão. Muito psy pra galere, hein. Aí a çerumana, depois de "pancadão" coloca um "hehehe", como se o pancadão fosse o problema. Gata, problema é tudo, o funk é realmente o de menos. Eu consigo ver mais autenticidade nas "letras" indecentes dos funks cariocas do que em músicas que rimam "amor" e "calor".

No geral, se eu estiver com gente legal eu me divirto com qualquer coisa. O problema não é esse. Eu dou risada do que for, danço o que for, desde que as companhias sejam legais. O problema, pra mim, é não ir além do tal do pop rock. É achar que muito psy pra galera é o máximo. É dançar "fazer amor de madrugada" e completar com "em cima da cama, embaixo da escada" como se isso fosse "UAU, que incrivel". Isso me dá muita, muita preguiça.

5 comentários:

Amber F. disse...

Psy + Pop Rock + Pancadão na mesma balada é SHOW, kkkkkkkkkkkk...

bobmacjack disse...

Concordo absolutamente (respira pra não cacofatar) tudo.

gi disse...

"É proibido fumar........ MACONHA!" é também das coisas mais irritantes do mundo. Noffa, que pessoal mais mallandro, fumam maconha, uhu!

Chu disse...

Amber, muito show, né? Tava pensando em te chamar pra ir comigo, 'bora pro pop rock?

Bob, ;-)

Gi, eu ia colocar essa e acabei esquecendo. Pior é que eu gosto pra caramba do Skank. Mas essa versão deles me enche um pouco o saco, justamente por causa do povo se achando malandrão e gritando que fuma maconha. Uau, hein.

Ariett disse...

Caramba, vc sempre escreve posts que eu quero escrever. Meu próximo é falar exatamente das coisas que eu tenho preconceito. Operador de telemarketing, por exemplo.