terça-feira, 18 de setembro de 2007

Tempo, tempo, tempo, mano velho

Minha percepção de tempo esse ano está completamente alterada. Tudo tem passado tão rápido que vivo com gosto de lembrança na boca e ares de nostalgia no rosto. O "faz tanto tempo" pode se referir a um mês atrás, enquanto que o "parece que foi ontem" pode se referir ao começo do ano, a maio, a julho, a agosto; tudo e todos se misturando numa coreografia sem fim dentro da minha cabeça. E se agosto foi mês do desgosto, em que parecia que o tempo não passava e eu sentia meu peito se encolher e meu coração diminuir a cada dia, setembro parece ser uma sucessão de coisas, pessoas novas e velhas, noites, planos. Tantos e tantos planos que me ocupam e me deixam num estado constante de ansiedade, ansiedade essa que me persegue pela vida. Agosto parece que foi em janeiro, janeiro parece que foi ontem, e vice-versa, porque se a idéia de tempo é mesmo relativa, eu só tenho comprovado isso na pele. Eu penso em 2007 e parece que já vivi TANTO que não é possível que haja mais novidade. Mas sempre há. Sempre haverá. E hoje em dia eu estou feliz com o que passou, com o que está acontecendo e com a expectativa do por vir. E aí sigo em frente, sempre um pouco mais agitada do que deveria, sempre com uma pontinha de saudade que já é parte de mim e sempre com a idéia de que há muito, muito mais tempo pra se viver.

3 comentários:

Margot disse...

lindona! tô com saudade. e pode separando umas dessas noites por vir aí pra mim :)

:***

AmberF. disse...

Também tenho essa sensação do tempo há alguns anos. Depois dos 30, parece que as coisas se relativizam cada vez mais.

gi disse...

minha percepção de tempo diz que faz 10 anos que eu não vejo você e que estou com muitas saudades. :(

Beijos, xuru.

gi