sexta-feira, 23 de maio de 2008

Isn't it ironic?

Don't you think?
A little too ironic?
Yeah, I really do think!

No começo do ano eu estava saindo com esse moço que é extremamente bonito. Preciso frisar isso porque é um fator importante. Sabe aquele tipo de beleza inquestionável? Pois então. Além disso ele é ótima companhia, ótimo papo, enfim, paremos por aqui. O que aconteceu? Fiquei muito babando por ele. Aquela coisa de "minha santa prelônia do abatedouro, obrigada pela graça alcançada". E aí cometi aquele erro fatal de desejá-lo muito e achar que meu jeito de ser pode ser um pouco too much. Porque eu sou um escracho e tenho consciência disso. No entanto, a velha máxima clichê dos clichês de "a pessoa tem que gostar de você do jeito que você é" é mais do que verdadeira. No entanto parte 2, quem é que nunca, quando estava frente a frente com alguém que parecia ser um sonho lindo que apareceu, se pegou tentando ser mais contido, falar menos besteiras, enfim, todas essas baboseiras? Acho que todo mundo já fez isso uma vez na vida.

Então lá estava eu, tentando ser cocota. Tentando ser tchutchuca e parecer mais namorável. E o que acontece? Ele me fala que eu era estranha. Gente, pensem na decepção: eu estava justamente tentando não parecer estranha. Eu estava tentando dicunforça mesmo! Tipo o Paulie Bleecker em "Juno", quando ela fala que ele é legal e nem se esforça pra isso e ele diz que na verdade ele tenta muito. Mas no meu caso eu não estava sendo chamada de legal. Não acho que ele tenha falado de maneira depreciativa, mas pôxa, eu estava lá comentando sobre umas músicas e provavelmente fazendo alguma graça nada hardcore quando ele me fala: you're so weird. Fué fué fué. Nesse momento o Geninho da She Ra apareceu e disse pros amiguinhos que o importante é ser 100% você o tempo todo. Aí eu dei uma bica nele porque odeio essas frases prontas.

Eu estava sendo eu, mas uma versão mais light de mim. E por que isso? Porque o interesse afetivo-sexual é uma merda. Sério, pessoal, encarem os fatos: estar interessado mesmo em alguém é um fardo. Por quê? Porque você começa a agir de uma maneira meio ensaiada, meio pisando em ovos, seus movimentos passam a ser friamente calculados - e todos sabem que se você começa a agir de maneira a poder parafrasear Chapolim Colorado é porque as coisas não estão indo muito bem. E é quando você age de maneira a querer chamar a atenção do objeto de sua afeição que, em muitos casos, tudo vai por água abaixo. Porque sem naturalidade tudo fica muito difícil. Uma vez li um texto que fazia um contraste entre o comportamente apaixonado e o comportamento apaixonante. Sempre lembro disso, o texto era genial. E o autor falava que quando estamos desinteressados, agimos de maneira apaixonante porque agimos naturalmente. Aí vem o interesse sexual e o que acontece? Ao invés de manter o comportamento apaixonante você começa a ter um comportamento apaixonado, que muitas vezes repele o outro, simplesmente porque, assim como eu fui, você fica meio patético.

Lógico que tudo devia ser mais simples. Mas a vida é uma puta velha e cansada. Ela não quer facilitar. E acho que ela se diverte vendo nós, suas marionetes, agindo de maneira patética e, conseqüentemente, sendo chamados de estranhos. Ela também se diverte colocando nas nossas vidas pessoas legais, interessantes e interessadas quando tudo que queremos é um chocolate quente no final da tarde e nada más. E é nesses momentos em que não queremos nada com nada que agimos de maneira apaixonante. Sendo nós, como bem nos aconselhou Geninho.

Aí você ouve umas frases tipo "Você é incrível, Sabia? Incrível. Não faz charme, fala o que pensa, isso é lindo!" e pensa "Por que caralhos eu não consigo ser assim sempre?". Então você olha pra pessoa que te disse isso, sorri abertamente e diz: "Nossa, esse pastelzinho está uma delícia, me passa a pimenta?".

Ah, vida puta velha e cansada... Tu me cansas...

Isn't it ironic?
I really do think.

5 comentários:

bjomeliga disse...

Bom, você sabe o que eu acho desse assunto. Penso que o problema não foi você ter ignorado o geninho (cara, fantástico esse desenterro), mas sim que o problema estava com a parte contrária.
E eu já pensei muito sobre essa coisa dos outros falarem "você é demais! Seu jeito é tu-do. Você fala o que pensa" mas por outro lado ninguém, apesar desse jeito mega cool, querer manter um relacionamento que fosse além do sexual.
Enfim, vida puta velha e banguela.

Adriana "Kilt" disse...

tipo...eu quero ler esse texto que vc comentou. rola de me mandar?

Joo disse...

Acho que o povo é folgado. Quer tudo fácil. Esquece que, quando você "compra" alguém, vem o pacote completo. Ninguém é feito sob encomenda.

Marcela disse...

Acho que todo mundo faz isso quando está conhecendo alguém.

Eu tenho tentado ser mais natural, mas acho que meu natural é muito ruim. Eu acabo falando mais que devia, depois fico me perguntando:
- Por que, deusdocéu, por que eu falei aquilo?
Too late.

Adorei seu blog, fiquei horas lendo os posts mais antigos.

Senhorita disse...

Nossa, perfeito texto sobre a loucura que acontece dentro da gente quando a gente sisma que quer namorar o novo menino dos nossos olhos. Adorei.

beijo!

Van