quarta-feira, 14 de maio de 2008

Martha Rocha

Não passei por dois centímetros.

Não foi porque meu Inglês não é bom o suficiente, porque o entrevistador disse que meu Inglês é wonderful. Não foi porque eu estava mal-vestida ou mal-maquiada, porque o entrevistador elogiou minha roupa e disse que eu estava extremamente elegante. Estava mesmo. Não foi porque eu sou feia. Não foi porque sou burra. Não foi porque eu não tenho a ver com o trabalho, porque eu ouvi, também da boca do entrevistador que tinha acabado de me conhecer, que meu perfil tinha tudo a ver. Não, não foi por nada disso. Foi por dois caralhos de centímetros filhos de um puto.

Sabe quem passou? A monga que fala "helpi" e pronuncia "nervous" como se lê. Ela tem dois centímetros a mais que eu. Sem contar todos os miguxos que eu vi no orkut - que passaram e já estão lá, do outro lado do mundo.

Eu acabei de descarregar um mundo de tristezas e frustrações em cima da minha mãe, por MSN. Porque as pessoas acham que, ok, eu não passei, tenta aquele seu outro plano. Só que eu não sei mais que merda de plano eu quero. Eu cansei de estar sozinha, de ter que ser mãe quando eu quero ser filha, cansei de ser forte, cansei de dizer que vou melhorar e que vou ficar bem. Eu sei que vou ficar bem. Mas quer saber minha vontade agora? A vontade é de mandar o mundo inteiro se explodir. E de gritar que eu não vou ficar bem porra nenhuma porque a vida resolveu jogar a maior quantidade de informações em cima de mim achando que I could handle mas SURPRESA, tá difícil demais e por muito menos muita gente já teria surtado de verdade.

Estou CANSADA. De verdade.

4 comentários:

bjomeliga disse...

Nada a ser dito no momento, só a (mesma) compaixão e solidariedae de antes, sem o fator glamour dessa vez.
Porra, quando é que o mundo vai começar a conspirar a nosso favor?
Saco!

Joo disse...

Acho que não entendi nada mas de certa maneira entendi tudo. Viver é uma bagunça.

Ariett disse...

Então, nem me atrevo a te dizer qualquer tipo de conselho, porque eu mesma preciso deles e me sinto desse mesmo jeitinho várias vezes. Mas talvez te ajude saber que você não é a única.

Chu disse...

Resposta para as três belas moças: obrigada pelos comentários!